sexta-feira, 29 de março de 2013

O Tempo não Pára - Cazuza


TOMIE OHTAKE



Tomie Ohtake é considerada a “dama das artes plásticas brasileiras” pela carreira consagrada, construída ao longo dos últimos cinqüenta anos, e pelo estilo ímpar de enfrentar a obra e a vida, nas quais força e suavidade têm o mesmo significado. A fama conquistada, desde a década de 60, nunca modificou o desafio a que se propõe: o termo reinventar. A capacidade de renovação de Tomie está expressa nas diferentes fases de sua pintura e nas suas composições de gravura e escultura. É dessa intenção intuitiva permanente que brotam o frescor e o esplendor de sua arte celebrada pela crítica e pelo público até hoje, com sua vigorosa produção recente. “Sua poética ao invés de declinar, germina em outras direções e aos 89 anos, de Tomie Ohtake pode-se dizer que o outono cede espaço à primavera”, escreve o crítico Agnaldo Farias (abril, 2003).

Nascida no Japão (Kioto/1913), Tomie chega ao Brasil em 1936 e só começa a pintar aos 40 anos de idade, construindo uma trajetória como poucos artistas brasileiros conseguiram. Os anos 60, quando se naturalizou brasileira, foram decisivos para a sua maturação como pintora originária da abstração informal. 
O domínio da esfera técnica de seu trabalho foi então confluindo com sua personalidade, passando a servi-la plenamente.
O controle do processo coincidiu com uma nova orientação dada progressivamente ao trabalho, segundo o qual ela foi substituindo a imaterialidade aparente de suas telas pelo estudo da relação forma-cor.
Entre formas ovais, retangulares, cruciformes, quadradas - sugerindo a idealidade de uma figura geométrica ou de um signo qualquer - colocadas isoladamente, justapostas ou em série, ficava sempre preservada a ambigüidade perturbadora entre elas e o espaço da tela. 

Efeito que se obtém, por exemplo, na tensão entre a forma que se agiganta até praticamente encobrir o espaço;
na maneira como este espaço insinua-se pelas frestas da forma; enfim, no confronto incessante entre esses dois termos e que se acentua, já nos anos 70, quando finalmente o espaço branco é tomado pela cor e se apresenta como forma A linha curva, em associação a uma refinada fatura cromática, mais difusa e “cósmica”, como a ela se refere o crítico Miguel Chaia, introduz sobretudo a partir dos anos 80, novas referências ao trabalho da artista: da alusão à natureza e suas formas orgânicas; do céu às sementes; da paisagem às frutas; do sensual ao francamente sexual. As telas, ao invés dos planos coloridos chapados, são compostas de manchas justapostas e sobrepostas, solução que as transforma em campos em transformação constante. Dos anos 90 em diante, a transparência e a

profundidade se acentuam e a pintura de Tomie parece emanar do espaço sideral.


Tomie Ohtake is considered the "queen of Brazilian visual arts" by career devoted, built over the last fifty years, and the unique style of the work and life experience, in which strength and smoothness have the same meaning. The fame gained from the 60's, never changed the challenge it sets itself: to reinvent the term. The ability to renew Tomie is expressed at different stages of his painting and printmaking in his compositions and sculpture. It is intuitive that intention permanent spring freshness and splendor of his art celebrated by critics and the public until today, with its strong recent production. "His poetic rather than decline, germinates in other directions and at 89 years of Tomie Ohtake can say that autumn gives way to spring," writes the critic Agnaldo Farias (April, 2003).
Born in Japan (Kioto/1913), Tomie arrives in Brazil in 1936 and only began painting at 40 years old, building a career as a few Brazilian artists succeeded. The 60s, when naturalized Brazilian, were decisive in their maturation as a painter originally from informal abstraction.
The field of technical sphere of his work was then converging with his personality, starting to serve it fully.
The process control coincided with a new orientation given to work progressively, whereby she was replacing the apparent immateriality of their screens for the study of shape-color relation.
Among ovals, rectangular, cruciform, square - suggesting the ideality of a geometric figure or any sign of a - placed in isolation, juxtaposed or in series, was always preserved disturbing ambiguity between them and the screen space.
Effect obtained, for example, so that tensions between looms until substantially conceal the space;
in how this space creeps through the cracks of the way, and finally, the incessant confrontation between these two terms and that is accentuated, since the 70s, when finally the white space is taken by the color and shape is presented as A curved line, in association with a refined chromatic bill, more diffuse and "cosmic", as she refers critic Miguel Chaia, introduced especially from the 80s, new references to the artist's work: the allusion to nature and its organic forms, the sky to seed; landscape to fruit; sensual to the downright sexual. The screens instead of stoned colored planes are composed of patches juxtaposed and superimposed solution that turns them into fields in constant transformation. 90s onwards, transparency and
depth and painting are accentuated by Tomie seems to emanate from outer space.















quarta-feira, 20 de março de 2013

Daniel Botelho Photography

Daniel Botelho.


Daniel Botelho é um premiado fotojornalista, especializado em fotografia subaquática. Seu trabalho pode ser visto em mais de uma centena de campanhas publicitárias, a conexão de Daniel com a natureza remonta a sua infância, entre o mar e a floresta, no Rio de Janeiro, . Atualmente Daniel contribui para várias publicações, em mais de vinte países, National geographic,Time,BBC Wildlife entre algumas. Preocupado com a devastação dos oceanos, Daniel tornou-se um guerreiro contra o massacre de baleias e tubarões, praticado a níveis insustentáveis que levarão estes animais a extinção.

Daniel Botelho is an award winning photojournalist who specializes in underwater photography. His work can be seen in more than a hundred advertising campaigns, Daniel connection with nature dates back to his childhood, between the sea and the forest, in Rio de Janeiro,. Daniel currently contributes to various publications, in over twenty countries, National geographic, Time, BBC Wildlife among some. Concerned about the devastation of the oceans, Daniel became a warrior against the slaughter of whales and sharks, practiced unsustainable levels that take these animals to extinction.


http://www.danielbotelho.com












terça-feira, 12 de março de 2013

Nando Reis - O Mundo É Bão, Sebastião!


COLEGAS

Colegas é uma divertida comédia que aborda de forma inocente e poética coisas simples da vida através do olhar de três jovens com síndrome de Down apaixonados por cinema. Um dia, inspirados pelo filme Thelma & Louise, eles resolvem fugir no Karmann-Ghia do jardineiro (Lima Duarte) em busca de seus sonhos: Stalone quer ver o mar, Marcio quer voar e Aninha busca um marido pra se casar. Eles partem do interior de São Paulo rumo à Buenos Aires. Nessa viagem, enquanto experimentam o sabor da liberdade, envolvem-se em inúmeras aventuras e confusões como se a vida não passasse de uma eterna brincadeira.

Colegas (Buddies) tells the story of three young people with Down syndrome who love movies and work at the video library of the institution where they have always lived in. One day, inspired by the film “Thelma & Louise”, they decide to run away using the gardener’s old car to have a freedom experience. They travel to uncommon places in search for three simple wishes: Stalone wants to see the sea, Aninha looks for a husband and Marcio needs to fly. During this search, they embark on several adventures as if life was just a children’s play.








segunda-feira, 11 de março de 2013

BEAUTIFUL BRITISH SINGER II






BEAUTIFUL BRITISH SINGER


 




AQUARELA TOQUINHO


NEW FACE

OI GALERA O BLOG (DESIGN DEAR) ESTA DE CARA NOVA E COM UMA NOVA PROPOSTA, CONTINUAREMOS FALANDO SOBRE DESIGN, PORÉM VAMOS COMPLEMENTAR  NOSSAS DICAS E IDÉIAS COM MODA, CULTURA E SAÚDE. 

HI FRIENDS. THE BLOG (DESIGN DEAR) HAVING NEW FACE AND WITH A NEW IDEIA, CONTINUATION SPEAKING ON DESIGN, BUT WITH DIFFERENT IDEIA ON FASHION, CULTURE AND HEALTH.

MUSEU AFRO BRASIL

O Museu Afro Brasil é uma instituição pública, subordinada à Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo e administrada pela Associação Museu Afro Brasil - Organização Social de Cultura. 
O Museu conserva um acervo com mais de 5 mil obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, fotografias, documentos e peças etnológicas, de autores brasileiros e estrangeiros, produzidos entre o século XV e os dias de hoje. O acervo abarca diversas facetas dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como a religião, o trabalho, a arte, a diáspora africana e a escravidão, e registrando a trajetória histórica e as influências africanas na construção da sociedade brasileira.

The Museum Afro Brazil is a public institution subordinated to the Ministry of Culture of São Paulo and administered by the Association Museum Afro Brazil - Social Organization of Culture. The Museum maintains a collection of more than 5000 works, including paintings, sculptures, prints, photographs, documents, and ethnological pieces of Brazilian and foreign authors, produced between the fifteenth century and the present day. The collection encompasses several facets of African cultural universes and african-Brazilian, covering topics such as religion, work, art, African Diaspora and slavery, and recording the historical trajectory and African influences in the construction of Brazilian society.


http://www.museuafrobrasil.org.br/









Museu Afro Brasil:
Av. Pedro Alvares Cabral, s/n - Parque Ibirapuera Portão 10 São Paulo/SP Telefone: (11) 3320-8900 - de ter a dom das 10h as 17h.